Programação IACS 50 anos

02/09/2018


DIA 12 DE SETEMBRO

 

13h30 – INAUGURAÇÃO PLACA MIDIATECA – SALA JOSÉ MARQUES

 

14h – INAUGURAÇÃO DA EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIAS – MEMÓRIA E DIVERSIDADE: IACS 50 ANOS

 

14h – MESA de ABERTURA – As liberdades, forças identitárias e o caráter diverso do Instituto, de 1968 até os dias de hoje

Com representantes dos diferentes cursos, departamentos e programas de pós-graduação: João Luiz Vieira; Ana Enne; Luiz Mendonça; Kleber Mendonça; Antônio Serra; Rosa Inês e Flávia Clemente

 

18h – Oficina de danças afro-ameríndias – com Juliana Manhães

Bailarina, professora da Unirio com trabalho de pesquisa sobre danças africanas e suas heranças. A proposta da oficina é vincular a questão do resgate de elementos pré-discursivos, corporais e ancestrais como forma de resistência, trabalhadas nas aulas de Comunicação e Feminismo negro e no projeto de extensão Vozes dissonantes na Comunicação e na Cultura.

 

DIA 13 DE SETEMBRO

10h às 13h – CINE DEBATE – Com o COLETIVO CAFUNÉ NA LAJE e CINEASTAS INDÍGENAS integrantes da ASCURI

CAFUNÉ NA LAJE (release) – O Coletivo Cafuné na laje é uma iniciativa de arte e educação independente, voltada a moradores de espaços populares. As ações começaram com as oficinas de cinema brincante, uma atividade realizada pela Cafuné na laje desde 2013, ano do primeiro filme criado com essa metodologia. As atividade são desenvolvidas no Jacarezinho, na parte alta da favela – Morro Azul – onde mais de 20 curtas metragens foram criados por crianças e adolescentes. O cinema brincante é o encontro entre diversas formas de estímulos e dinâmicas que envolvam brincadeiras presentes no cotidiano, fazendo desses dispositivos métodos para criação de roteiros de filmes.

A ASCURI – Associação Cultural de Realizadores Indígenas de Mato Grosso do Sul, entidade que reúne jovens realizadores e produtores culturais Guarani, Kaiowa e Terena, criada em 2008, busca, por meio das Novas Tecnologias de Comunicação, criar estratégias de resistência para os Povos Indígenas de Mato Grosso do Sul, bem como o fortalecimento na luta pelo seu Território Tradicional e na busca pela democracia midiática, Gilearde Barbosa Pedro, Michele Perito e Ademilson Concianza tornaram-se neste ano de 2018, bolsistas da Escola de cinema Darcy Ribeiro, e vão estudar respectivamente Direção, Roteiro e Montagem. E vão compartilhar suas experiências conosco nesta roda de conversa.

 

17h às 19h – MESA LGBTQ – o papel da universidade nas lutas de gênero

Flávia Lages; Bruna Benevides; Tali Ifé; e alunos de diversos cursos do IACS que também relatarão suas vivências na universidade.

Mini currículo Bruna Benevides: PresidenTRA do conselho LGBT de Niterói, membro da Diretoria da ANTRA e ABGLT. Coordenadora do Preparanem Niterói.

Mini currículo Flávia Lages: Possui graduação em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1992), mestrado em História Social (1997) e doutorado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidade Federal Fluminense (2015). É professora Adjunta do Departamento de Arte da Universidade Federal Fluminense.

Mini currículo Tali Ifé: Tali Ifé, 21 anos. Matogrossense perdido pelo Rio, estudante de produção cultural na UFF, mas que aprendeu que produção é o corre da rua. Faz parte hoje da União da Juventude Socialista e Coordena o CUCA (Circuito Universitário de Cultura e Arte) da UFF. Homem trans e bissexual. Corpo estranho ocupando espaços.
 

DIA 14 DE SETEMBRO

SALA INTERARTES

10h – Exibição de vídeo sobre exposição fotográfica – “Ausência”, seguido de conversa com a fotógrafa Nana Moraes sobre fotografia documental

Exibição de um vídeo com imagens da exposição Ausência da premiada fotógrafa Nana Moraes, parte do seu projeto que retrata a realidade de mulheres presas e suas relações com filhos e familiares, construída por meio de fotografias, troca de cartas e tecidos costurados e bordados em forma de colchas, mantas e toalhas. Haverá um bate-papo com a fotógrafa, mediado por América Cupello e Edney Clemente de Souza, professores do Instituto de Artes e Comunicação Social da UFF, ressaltando a obra da artista, que revela o universo das mulheres estigmatizadas.

 

14h – Peça – A disformidade do disforme – Fagner Emerich (egresso de produção cultural)

Release: O espetáculo teatral “A disformidade do Disforme”, fala sobre a jornada de Santiago, um jovem rapaz que há cerca de dois anos teve que se adequar a sua nova condição física. Após um acidente, Santiago adquiriu uma deficiência que o impede de se locomover sem sua cadeira de rodas. Na jornada de adaptação à um mundo sem acessibilidade adequada, o protagonista conta com a ajuda de três novos amigos que compartilham consigo seus traumas, frustrações e experiências, levando ao grande público muita emoção e experimentações das limitações decorrentes das deficiências. De forma descontraída e repleta de informações, o espetáculo desperta a empatia do espectador e a necessidade de se preocupar com a acessibilidade em todos os aspectos da vida social.

 

JARDINS

11h – OFICINA DE POESIA VISUAL COM STENCIL com Projeto VV (Viviane Laprovita e Vladimir Ventura)

 

SALA MOACY CIRNE

10h – Oficina de dança africana – com Alexandre Singa D.

Da República Democrática do Congo (ex Zaire), Alexandre é aluno do curso de comunicação social/ publicidade e propaganda. Apresentará uma breve história de três das danças Culturais da República Democrática do Congo e fará performance delas seguidos de uma oficina, ensinando seus passos. São as danças: Ndombolo, Rumba e kamu langu.

 

MÚSICA NA PRAIA (16h/21h)

16h/16h30 – Thaisa Montovani e Augusto Sérgio

Release:Thaisa Montovani: tem 24 anos, é aluna de Biblioteconomia & Documentação da UFF, atualmente cursa o 5° período da graduação. Tem amor pela música desde que se entende por gente e tem prazer em anunciar que vai participar de uma sessão de música ao vivo no dia 14/09 no horário de 16h às 16h30, junto com seu amigo Augusto Sérgio que também é aluno da UFF, no evento de Aniversário 50 anos IACS.

 

16h30/17h15 – Projeto Zaire – Maurício Guimarães e Gabriel Araújo (voz e violão)

Release: Zaire é um projeto composto por Maurício Guimarães e Gabriel Araújo, estudantes da UFF que sempre estiveram envolvidos em diversos projetos culturais em Itaboraí-RJ, em seu repertório, alem de canções autorais, eles trazem um leque com diversos clássicos da Música Popular Brasileira em uma nova roupagem criada de forma única e intensa.

 

17h15/18h – Roda de Samba da Atlética

 

18h00/18h45 – Set DJ Jeff Rodrigues

Release: Jef Rodriguez é baiano de Ilhéus, MC e sócio fundador da banda O Quadro, discotecário e pesquisador musical autodidata. Graduado em Filosofia pela UESC (Universidade Estadual de Santa Cruz), Arte Educador na Plataforma Urbana Digital do Macquinho (Niterói RJ).

 

18h45/19h30 – Duda Oliveira e Paolo Esteves – Projeto Amantes Latinos

 

19h30/20h15 – Carol Rocha, Daniel Arm e José Vitor – Aluá

Release: Aluá é o encontro de três compositores – Carol Rocha, Daniel Arm e José Vitor. O show composto por violão, percussão e vozes, traz músicas autorais e releituras que influenciam o grupo.

 

20h15 – Show Banda TRANSalgumaCOISA

Release: TRANSalgumaCOISA surge da suspensão, das interdições entre um e os outros, público e banda, palavra e som, processo e apresentação.

Explora o ruído e o ritual através da música a partir da experimentação de ritmos como Rock, Jazz e Samba para compor em sintonia uma energia única com seus instrumentos e percussões.

TRANSalgumaCOISA é transe, trânsito, movimento e transformação. É formada por Túlio Marcon, Kélvin de Kéco, Yuvita Gustinelli e Marlon Cardozo.

“(…) Compomos e vivemos nosso processo musical de forma lúdica e até indefinida pensando que temos influências diferentes um dos outros. As músicas surgem do estopim de um improviso, da mistura inconsciente de poemas, filosofia, cotidiano, espiritualidade, etc. Por toda essa miscelânea, o místico acaba por nos trazer um norte.”

 

** PROGRAMAÇÃO SUJEITA À ALTERAÇÃO SEM AVISO PRÉVIO **

 
 

Copyright 2018 - STI - Todos os direitos reservados